Recalculando…

Sabe aquele barulhinho do WAZE quando o aplicativo faz o recálculo da rota? Lembrou? Pois então. Eu ouvi esse barulhinho há pouco mais de uma semana repensando os processos de Coaching que atendi até então, com a ajuda de uma das minhas parceiras de estrada profissional, Carol Nalon (Obrigada de coração, Carol!).

 

Vou explicar: Quando comecei a atuar como coach defini que somente atenderia mulheres e acabo de alterar o nome da minha fanpage/site: De “Janaina Velloza Coaching para Mulheres” para “Janaina Velloza Coaching”. Algumas pessoas me perguntaram sobre as razões dessa mudança de rota. Li e ouvi: Deixou de ser feminista? Não é mais a favor da causa? E eu respondo: Definitivamente essa mudança nada tem a ver com isso.

 

Continuo defendendo sim que a igualdade de gêneros é um assunto de extrema importância. Nunca me considerei uma ativista, apesar de ter pensado em atender somente mulheres com o intuito de promover empoderamento feminino. O fato é que nunca deixaram de chegar até mim clientes homens, com questões tão genuínas e tão desafiadoras quanto as trazidas pelas mulheres. A bem da verdade, escolho aqui confessar que pouco via diferença em razão do gênero em meus atendimentos, e concluo: As diferenças são peculiares a cada um de nós, a cada cliente, homem ou mulher, com seu jeito único de ser e pensar que enriquecem o meu dia a dia no trabalho e na vida.

 

Decidi não ignorar o fato de homens estarem tão afoitos por buscar ajuda para solucionar questões profissionais e pessoais, afinal, cada vez mais se sentem autorizados a fazê-lo, e ainda bem (parte 1), pois procurar ajuda para resolver questões da vida não é mais somente uma atitude da mulher. É cada vez mais comum, homens querendo cuidar de seu lado emocional, e ainda bem (parte 2). Este último suprimido e muito, inclusive sem muita consciência por parte deles, por uma educação/sociedade machista. Que homem nunca ouviu a famosa frase: “Pare de chorar, homem não chora!”? Quando na realidade “chorar” é da natureza humana. Empoderamento feminino só é possível trazendo homens também para essa jornada.

 

Portanto, rota recalculada e que a mim continuem chegando as pessoas (sem distinção de qualquer natureza, independente de gênero, raça, credo, sexualidade) para as quais eu serei útil com o meu trabalho. Amém.

Janaina Velloza

Fevereiro 2017

Janaína Velloza

Leave A Comment