empreender e seus desafios

Os desafios da vida empreendedora

“Ah, que vontade de jogar tudo para o alto e abrir uma barraca de côco na praia!”

A ideia já te passou pela cabeça? Não exatamente essa, mas algo parecido?

Pois é. Eu mesma já pensei nisso e não foi uma vez só. Muitos dos meus clientes que procuram ajuda para solucionar sua insatisfação profissional também chegam com ideias de jogar tudo para o alto e montar um negócio.

Se esse for o seu caso, longe de mim querer te desanimar, mas é preciso entender bem o que desse “tudo” você quer de fato jogar para o alto. Pois até para abrir uma barraca de côco na praia, algo que parece muito simples, você pode dar de cara com um problema para lá de complexo. Explico: Você precisa entender de fato o que é necessário preservar da vida que leva atualmente e do que está disposto a abrir mão para fazer essa mudança.

Empreender é desafiador, tão ou mais que aguentar um chefe sem noção ou pares e funcionários desmotivados ocupando uma posição no mercado formal de trabalho e, detalhe, se você tiver funcionários e sócios no seu negócio, não estará livre deste tipo de questão.

Então, para acabar com a ilusão de que um emprego formal é só ruim e empreender é só tudo de bom, vou listar abaixo alguns dos desafios da vida empreendedora. Alguns deles são meus, mas fiz uma breve pesquisa com outros empreendedores para colaborar com uma maior compreensão do assunto.

  • Não vem com botão LIGA/DESLIGA. Por mais disciplinado que seja, mesmo que seu negócio venha a ter um horário bem definido de funcionamento, você não vai parar de pensar sobre ele, mesmo depois de apagar a luz de seu empreendimento. Digo apagar a luz se ele for físico, por que se não, se for um negócio digital por exemplo a coisa tende a piorar um pouco, pois hoje a tecnologia com todas as suas benesses também nos presenteia com o lado não tão bom da moeda. Podemos trabalhar de qualquer lugar, a qualquer hora, até mesmo de um hospital em meio a uma crise de stress, se nenhum ente que muito te ama não resolver dar um sumiço em seu smartphone.

 

  • Seus banhos serão inundados por todas as ideias mais mirabolantes do universo sobre como atrair mais clientes, sobre um novo produto e/ou serviço a oferecer e/ou parceria que você quer desenvolver e você não vai ter como anotá-las neste momento. Eu já tentei anotar no vidro do box, lotado de vapor, enfim, às vezes funciona, às vezes não.

 

  • Não há garantias. Da mesma forma que você tem seu emprego formal hoje e amanhã pode ser demitido, não importa o motivo, a vida empreendedora também não garante que seu negócio vai dar certo, se a estratégia sempre utilizada para vender seu produto até aqui vai continuar funcionando para vendê-lo para todo o sempre. E ela não vai. Ainda mais hoje em dia, num mundo em que tudo muda tão rápido o tempo todo.

 

  • Benefícios? Trabalhamos com benefícios, mas em nada guardam relação com os oferecidos a você pelo mundo corporativo. Esqueça vale-refeição, alimentação, 13º salário (ver mais abaixo, existe um tópico só para falar dele) bônus, férias. Aqui temos disponibilidade de tempo, total autonomia, liberdade, mas não se iluda: você trabalhará mais. Liberdade anda junto com responsabilidade e haja autodisciplina para o negócio andar. Ser seu próprio chefe faz de você mesmo algoz e vítima, explorador e explorado. Às vezes você pode pegar pesado demais com você mesmo outras afrouxar demais. Suas habilidades de autogestão serão colocadas à prova.

 

  • “There is no free lunch” (não existe almoço grátis). Seu dia pode ter sido muito produtivo, mas isso não significa necessariamente dinheiro entrando na conta. Quer um exemplo disso? Estou aqui escrevendo este artigo, já fiz um milhão de outras coisas relacionadas ao meu trabalho hoje pela manhã, ainda tenho supervisão de casos à noite, mas não atendi clientes hoje. Ou seja: Trabalharei mais de 10 horas ao final do dia e não ganharei um tostão nele.

 

  • Disponibilidade para aprender. Você vai precisar se dispor a isso. Se não puder abrir espaço na sua vida para errar, nem se aventure a empreender. Eu poderia ter intitulado o item como “não tenha medo de errar”, mas para mim esse é um pedido impossível. Pedir para alguém não sentir algo é o mesmo que dizer: não seja humano! Como assim “não sinta medo”? Sentir medo é inevitável e também quando você empreende. É preciso “dar a cara à tapa”, ir com medo mesmo, tentar com medo mesmo, pois fato é, você vai errar sim, e não será pouco. Isso abalará muitas vezes a sua autoconfiança. Você vai duvidar de si mesmo, do seu potencial para gerir o negócio e vai precisar de muita resiliência para dar a volta por cima e escolher novos caminhos.

 

  • Conquistar clientes/mostrar o seu diferencial: Esse tópico poderia ser tema para um outro artigo inteiro…Vide tópico anterior acrescido de: Seu diferencial é você! Tem alguma dúvida quanto a isso? Se tiver eu acabo com ela agora. Ninguém no mundo todo tem a sua digital. Você é um ser único, portanto diferente de todos os outros mortais que na terra habitam. Acho que agora eu te convenci, não é? Mas talvez para o seu marketeiro essa não seja a melhor resposta a ser dada, então dá-lhe trabalho para descobrir o que de diferente de todo e qualquer negócio no seu segmento você entrega ao mundo com seu trabalho. Ah, só para lembrar: isso pode ser um diferencial hoje, amanhã mesmo pode descobrir um concorrente entregando um “diferencial” igualzinho ao seu, ok?

 

É claro que alguns negócios já nascem de uma necessidade ainda não atendida, já nascem diferenciados, mas se o seu não foi fruto de uma ideia dessas…

 

  • Salário? O que é isso mesmo? Uma das poucas coisas que sinto falta do mundo coorporativo, isso sem mencionar a agilidade das impressoras à laser que deixam a minha DeskJet aqui ao lado em situação de muita desvantagem. A parte boa é que à força me tornei uma pessoa mais consciente ambientalmente falando. Mas voltando ao salário… O “pinga” no final do mês, sempre naquela mesma data, não importando se havia entregue ou não todo o necessário, na verdade isso ficava à encargo da avaliação de desempenho que checaria se eu teria então direito a uma fatia do bônus, mas o salário estava ali, todo mês, garantido.

 

Aqui na vida empreendedora quando falamos de salário falamos dos salários dos funcionários, pois o seu…Pode ser que às vezes fique sem a fatia do bolo feito pelo seu próprio negócio. Quantos não são os empreendedores que passam por fases difíceis cujo os rendimentos pagam a operação, mas não sobra nada para o bolso próprio. Ou seja, a sua relação com o dinheiro na vida empreendedora vai precisar de muita DR. Isso mesmo, Discussão de Relacionamento, tipo às que você tem com seu cônjuge.

 

Ao meu ver, para atender ao chamado da vida empreendedora você precisa dar um passo para traz e partir primeiro para uma jornada de autoconhecimento. Você precisa primeiro buscar saber qual lugar o trabalho deve ocupar em sua vida.

Às vezes, você acha que trocar um emprego formal por um negócio próprio vai ser a solução para sua insatisfação profissional e pode acabar lidando com ela de novo numa nova roupagem. O que vejo todos os dias no escritório me comprova que não necessariamente trocar uma coisa pela outra resolve a questão. Também na maioria das vezes em que meu cliente chega com o desejo de transitar de carreira, com a ideia de jogar tudo para o alto e abrir um negócio, ao longo do processo o que acontece é e ele mesmo se dar conta de que não necessariamente é este o caminho. Foram poucos os casos em que se optou pela transição de carreira, inclusive. Em sua maioria, meus clientes passaram na realidade foi por uma mudança de olhar sobre suas próprias vidas, sobre a forma como a conduzem e onde é então que o trabalho tem espaço nesse contexto.

Juro, não quero desanimá-lo se você está pensando em empreender, nem se já fez sua escolha por este caminho e está aí lendo o texto e se identificando com tudo o que estou aqui dizendo. Não existe um caminho bom e um ruim, um certo e um errado. O que existe e acredito, é num caminho para chamar de seu, e a resposta para a pergunta “qual é o melhor caminho para mim?”só você pode dar a si mesmo.

E sinto muito informar, se alguém diz para você que tem essa resposta pronta para te fornecer, quero conhecer a pessoa, o milionário, dono da fórmula mágica que acredito eu não ser nem humano, e se for, provavelmente acha não se tratar de um. Talvez pense ser uma divindade, quem sabe até se acha “Deus”.

O que não pode mais permanecer como está?

O que precisa ser preservado?

O que é importante para você hoje?

E qual espaço o trabalho deve ocupar em sua vida agora?

Conheça-se. Descubra-se. Existe uma solução personalizada para você. Invista nesse processo e eu não tenho dúvida, a resposta restará clara. Não desista de buscar por ela.

Empreender é mais que uma forma de trabalhar, empreender é um jeito de levar a vida. Viver é empreender, mesmo que você ainda não esteja consciente disso, mesmo ocupando uma vaga de emprego no mercado formal de trabalho.

Janaína Velloza

Leave A Comment