Medo de não dar certo - Janaina Velloza

junho 4, 2020by Janaina Velloza

Se você acha que não sente medo, se belisca aí pra confirmar se está vivo.
Além de ser humano, sentir medo é necessário.
O medo deve ser respeitado.
Dê lugar ao medo.
É ele quem te salva de situações de perigo real.
Agora outra coisa é viver no “medo ilusão”.
Explico: “Medo ilusão” é o mesmo que viver sempre pensando e agindo ou não agindo com base em “E SE…”
“E se eu perder meu emprego?”
“E se minhas reservas acabarem antes da pandemia chegar ao fim?”
“E se eu investir num novo caminho profissional e não der certo?”
“E se a pandemia não acabar?”
“E se eu pegar a COVID?”
“E se eu passar a doença para um dos meus pais?”
“E se , E se, E se…”

É muito comum eu ouvir dos meus clientes em algum momento da jornada de transformação profissional: “Estou sentindo que o caminho é esse, mas e se não der certo?
E eu pergunto: Se fosse possível saber hoje que vai dar certo, o que você faria?
Daí ouço: Começo hoje mesmo a tentar!
Daí pergunto: E se agora eu te disser: “Não vai dar certo!” O que você faria?
E ouço: Nem tentaria.
Qual dessas respostas você tem hoje? Nenhuma delas, não é mesmo?
Não há garantias, não há certezas. Não sei se já reparou, mas a vida não trabalha com certezas absolutas, pelo menos não no que se refere a solução de problemas complexos.
E ficar no “E se”, ficar no “medo ilusão” pode te paralisar.

Investigue seu medo. Pergunte e responda a você mesmo:
1. O medo é de não dar certo?
2. O que é “não dar certo”? As coisas não acontecerem exatamente como você deseja? E quando é que coisas acontecem exatamente como desejamos?
3. O que vai acontecer se não der certo?
4. Como vai se sentir se não der certo?

No final das contas vai perceber que o seu medo é de sentir. Você tem medo de sentir algo ruim. Você tem medo de sentir a dor da frustração. Tem medo de não saber lidar com essa dor.

E eu tô aqui pra te lembrar o seguinte: Dor passa!

Ah Janaina, isso meus pais me falavam quando eu caia e me ralava todo. Pois é! “Antes de casar passa.” Essa eu ouvia muito, e ainda bem que passava e bem rápido, viu? Pq eu demorei bastante pra me casar.

Dor passa. Já o seu sofrimento por tentar evitar sentir dor, esse te domina, te paralisa, te bota em crise de pânico e assim você se transforma no escravo de seu MEDO.

A DOR é inevitável, já o sofrimento é uma escolha, mesmo que você não tenha consciência disso.
Eu tenho uma professora que diz que quando temos medo de mudar uma situação ruim e não fazemos nada pra isso é como sentar e esperar que aquilo que não quero que aconteça, aconteça.

Por isso em primeiro lugar:
1. Aceite o medo. Como? Diga pra você mesmo: estou com medo disso. Tenho medo de fazer, falar, deixar de fazer determinada coisa.
2. Fale sobre esses seus medos com alguém. De preferência com alguém que de fato te ouça de verdade, se não tiver um terapeuta, um coach, um helper de pathwork, tudo bem falar com algum amigo, amiga, com os dois ouvidos e não só uma boca que quer te dar uma solução ou entrar numa competição com você sobre quem sofre mais. Pode ser que você esteja aí achando que só você sinta medo disso. O que é uma inverdade. Você não está sozinho. E quando dividir isso com alguém o sentimento diminuirá.
3. Quando estiver sentindo medo, pergunte a você mesmo: Isso é real? Eu estou correndo perigo real de morte nessa situação?Na grande maioria das vezes não é isso o que está acontecendo e vai poder constatar que esse medo é então imaginário.

O ganho dessa consciência por si só já é mais de meio caminho andado na escolha que você está fazendo por não sofrer agora, afinal, agora, neste momento você está aqui presente, lendo esse texto, e se ninguém está nesse momento te apontando uma arma ou se não está dirigindo enquanto lê o conteúdo, por exemplo, você não está em situação de perigo real.

A maioria dos nossos medos não são reais, mas pra sentir menos medo irreal (medo ilusão) é preciso reconhecê-lo, senão estará à serviço dele, escravo dele e sem consciência disso estará sofrendo.

Converse com seu MEDO, faça a você mesmo as perguntas que te fiz aqui no vídeo e negocie sobre o que pode ser feito, não feito ou falado com medo mesmo.

Para tanto te desejo coragem. E a coragem que te desejo é a dessa maravilhosa definição de Susan David, psicóloga e autora de um dos livros mais vendidos da Amazon (Agilidade Emocional):

“Coragem não é a ausência do medo. Coragem é o medo andando.”

by Janaina Velloza

Formada em Coaching Ontológico pelo Instituto Appana e Woman To Be, analista comportamental formada pelo IBC (Instituto Brasileiro de Coaching), membro da ICF (Internacional Coach Federation) em processo de certificação. Idealizadora do workshop “Dando um novo sentido ao trabalho” e do Programa “Coaching no Escritório“, atualmente cursando o Programa Pathwork de Transformação Pessoal.

ENTRE EMContato
Atendimento com horário marcado.
NOSSOEscritório
https://janainavelloza.com/wp-content/uploads/2019/04/img-footer-map.png
SIGANossas Redes Sociais
Acompanhe nossas redes sociais e compartilhe.
ENTRE EMContato
Atendimento com horário marcado.
NOSSOEscritório
https://janainavelloza.com/wp-content/uploads/2019/04/img-footer-map.png
SIGANossas Redes Sociais
Acompanhe nossas redes sociais e compartilhe.

© Janaina Velloza. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Estúdio Copacabana.

© Janaina Velloza. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Estúdio Copacabana.

Abrir bate-papo
1
Precisa de ajuda?
Olá! Posso te ajudar?